terça-feira, 26 de março de 2013

Marco Soares conta o que se passou no ultimo jogo

Dia 24 de Julho ficou marcado pelo jogo entre a Guine Equatorial e Cabo Verde onde os casa receberam e venceram os Tubarões Azuis por 4-3 num jogo onde homem do jogo foi... o arbitro.


Após o jogo os seguintes jogadores manifestaram-se nas suas paginas no Facebook a indignação:

Fernando Varela afirmou que o que se passou foi vergonhoso e que em sete anos como profissional nunca tinha visto nada igual, retorquindo que o "senhor vestido de preto não nos deixou ganhar".
O guarda-redes Vozinha foi mas directo dizendo: "Que roubalheira, isto é uma vergonha. Nunca vi nada igual no futebol. Perder por 4-3 e sofrer apenas 1 golo limpo, marcar golos 4 limpo sendo validos só 3 e ainda um penalti a nosso favor onde o guarda-redes seria expulso mas não marcaram. Mas infelizmente isto é África."

Marco Soares em exclusivo ao DTudo1Pouco conta o que se passou e porque quiseram sair do campo:
"Quisemos abandonar o campo mas não o fizemos por respeito á Federação e de uma possível punição caso o fizéssemos. O primeiro primeiro golo deles foi fora de jogo, o segundo golo é um penalti que não existiu, o jogador deles chutou a bola contra o peito de Toni Varela e o arbitro deu penalti.
Logo a seguir penalti sobre Platiny e expulsão para o guarda-redes da Guine Equatorial mas o arbitro limitou-se a deixar seguir o lance. No quarto golo deles a bola ainda estava no ar e ele (arbitro) já tinha apitado falta ou fora de jogo... nem sei, e o Guy Ramos de cabeça e entrou, mas o Vozinha pegou a bola e lançou contra ataque nosso e os jogadores deles começaram a dizer golo e a correr e ele apontou golo. Foi quando decide correr para o Lúcio e disse que ia sair do campo, os outros também queriam sair.
Houve um lance que o Babanco ficou no chão e eles estavam no contra-ataque e ele mandou seguir, conseguimos recuperar a bola e o Djaniny ficou isolado o árbitro apitou para o Babanco receber assistência  Na segunda parte o jogo interrompido porque queríamos sair e porque o guarda-redes da Guine Equatorial foi assistido duas vezes e ele deu quatro minutos de compensação."


Os adeptos já pediram a Federação cabo-verdiana de Futebol que apresente queixa a FIFA do arbitro Mahamadou KEITA. Ha mesmo quem peça que Cabo Verde passe a pertencer a UEFA (o que é possível).