sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Alguns acontecimentos em 2010

JANEIRO
terça-feira 5 - Burj Khalifa Bin Zayid a maior estrutura e, consequentemente, o maior arranha-céu construído pelo homem, com 828 metros de altura;

sexta-feira 8 - O autocarro do Togo foi metralhado (CAN);

dia 10 - Angola organizou pela primeira vez o CAN e todos os olhos estavam postos no País entre os dias 10 e 31 de Janeiro;

terça-feira 12 - Sismo no Haiti;

dia 14 - um acidente de viação vitimou o cantor Vadú. O carro em que seguia caiu de uma ravina em Santo Antão. Dias antes, 6 de Janeiro, Codé di Dona, um ícone da música cabo-verdiana, também tinha falecido.


terça-feira 26 - em Los Angeles Avatar bate recorde de bilheteira e é também o filme mais caro de sempre;

quarta-feira 27 - Apresentação nos EUA por parte da Apple do Ipad.

FEVEREIRO 

03 de Fevereiro - Em Fevereiro, Avatar tornou-se o filme mais rentável de sempre.


Sábado 27 – abalo sísmico no Chile que atinge 8,8 de magnitude na escala, 500 pessoas morreram 

MARÇO

dia 2 - aniversario do magnifico Bruno da Moura (moi) autor do DTudo1Pouco

domingo 14 – o regresso do ano tem o nome de Michael Schumacher depois de uma pausa de três ano na Fórmula 1

domingo 21 – o vulcão Eyjafjallajoekull (Islândia) entra em erupção e “para” a Europa a nível aéreo

ABRIL
terça-feira 20 – A grande maré negra atinge o Golfo do México deixando o mundo em alerta depois da explosão da plataforma petrolífera “Deepwater Horizon”

MAIO


dia 10- A Diva dos Pés descalços Cesária Évora é hospitalizada em França depois de um concerto – com lotação esgotada – em Portugal, no Coliseu dos Recreios.

sábado 14 – a situação é explosiva no centro de Banguecoque porque os camisas vermelhas (um deles tinha a camisola do Benfica) usam forças contra as forças de ordem

JUNHO 

sexta-feira 11 - um dia inédito para África com o primeiro mundial a ser realizado nesse continente. De 11 de Junho a 22 de Julho África do Sul realiza o Mundial com as “terríveis” vuvuzelas onde destacam a Espanha e o Paul aquele polvo que era adivinho 


Dia 18 – Morreu o escritor José Saramago, Nobel da Literatura em 1998

JULHO
sábado 24 – vinte e uma pessoas morrem num túnel de acesso ao local da festa a Loveparade (parada do amor) em Duisbourg

 AGOSTO


dia 5 - um grupo de mineiros chilenos ficou soterrado na mina de San José, a 622 metros de profundidade.

quinta-feira 19 – as ultimas tropas americanas deixam o Iraque

Dia 19 – foram expulsos os primeiros grupos de ciganos ilegais em França

SETEMBRO 


dia 3 - foi finalmente lido o acórdão do processo Casa Pia.

 
domingo 5 – ETA entrega as armas

OUTUBRO
 

dia 8 - foi atribuído o Nobel da Paz ao activista chinês Liu Xiaobo.


quarta-feira 13 – Os 33 mineiros no Chile são retirados da mina em San José ao fim de 69 dias

sexta-feira 15 – “o túnel do século” assim fica conhecido o maior túnel do mundo na Suíça percorrendo 57 km a 2.000 metros de profundidade… mas só será inaugurada em 2017

dia 30 - O cantor senegalês, radicado nos EUA, esteve em Cabo Verde pela primeira vez. Foi considerado o concerto mais aguardado do ano.

sexta-feira 31 – Dilma Roussef torna-se a primeira mulher a dirigir o Brasil

 NOVEMBRO



Dia 20 - foi divulgada uma entrevista em que Bento XVI disse ser aceitável, em certos casos, o uso do preservativo para protecção face a doenças como a SIDA. As declarações do Papa foram saudadas por muitos.

Lisboa acolheu a cimeira da NATO a 19 e 20 de Novembro. A zona do Parque das Nações esteve sob vigilância apertada para receber chefes de Estado de todo o mundo – entre eles, Barack Obama.


domingo 28 – depois da Grécia a Irlanda pede ajuda ao FMI

DEZEMBRO 

quarta-feira 1 – Manto Branca em França devido ao forte nevão que se faz sentir 




dia 2- A 2 de Dezembro, a FIFA anunciou o vencedor da candidatura à organização do Mundial de Futebol de 2018. Um balde de água fria para as esperanças de Portugal e Espanha. Nesse mesmo dia, o SAPO CV apresentou uma nova Homepage.


Terça-feira 7 – o fundador da Wikileaks é detido



terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Maria queres casar comigo?

Um adepto do Cercle Bruge aproveitou o jogo com o Standard de Liège para pedir a sua bela amada em casamento.

   
video

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Desejo a todos os que já leram algo neste blog um feliz natal e um próspero ano novo

Bom Natal e Feliz Ano Novo

Χαρούμενα Χριστούγεννα και Kαλή Xρονιά

Merry Christmas and Happy New Year

Feliz Navidad y Feliz Año Nuevo

Joyeux Noël et Nouvelle Année Heureuse

Buon Natale e Buon Anno

Честит
Божиќ и Среќна Нова Година

Frohe Weihnachten und Guten Rutsch ins Neue Jahr

メリークリスマスおよび明けましておめでとう

                                            Hyvää Joulua ja Onnellista Uutta Vuotta

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Selecção cabo-verdiana de estudantes em Braga vence torneio no encontro de XV encontro de estudantes cabo-verdianos e Portugal

No XV encontro dos estudantes Cabo-verdianos em Portugal cujo principal objectivo era fortalecer os laços de amizade entre os estudantes foram realizados varias actividades no intuito de melhorar esse laço de amizade. Fórum de debate, espaço cultural e eventos desportivos foram as principais actividades realizadas neste encontro dando o destaque ao futebol masculino onde a selecção cabo-verdiana de estudantes em Braga venceu o torneio contra a selecção do Porto.

Os dez campeões de Braga ficaram no Grupo B juntamente com Leiria, Lisboa e Faro vencendo um jogo e empatando os outros dois jogos do grupo. Nas meias-finais Braga venceu Tomar por 4-2 que deu acesso a final contra os vizinhos do Porto.
Cada equipa tinha direito a levar dez jogadores e foi isto que Braga fez não levando o treinador pois cada comitiva não podia levar mais do que dez elementos, tendo o cargo de treinador ficando na responsabilidade de Zinho que também é o capitão da equipa. Numa partida equilibrada os bracarenses levaram a melhor sobre os portistas levantado a taça de melhor equipa cabo-verdiana em Portugal.

Dia 3
Braga 1-1 Leiria (Grupo B)

Dia 4
Braga 1-1 Lisboa (Grupo B)
Braga 5-0 Faro (Grupo B)
Braga 4-2 Tomar (meia-final)
Braga 1-1 Porto (3-2 g. p.)




Keven Almeida: “gostei imenso do torneio, tínhamos uma excelente equipa, a organização da nossa equipa estava excelente mas não posso dizer o mesmo da organização porque tinham organizado algumas coisas que não se cumpriram e os que cumpriram foi com muito atraso, prometeram muito mas cumpriram pouco como caso do pequeno-almoço na pensão que não se viu. Em relação ao torneio a vitória do título foi especial porque logo no 1º encontro que participo chegamos e ganhamos foi mesmo espectáculo.” Hoje choro de alegria porque conseguimos trazer o troféu .

Hélio Alfama: “ foi algo que não estava a espera, nunca tinha pensado que o encontro envolveria tanta emoção no final do jogo quando ganhamos vi muitas pessoas chorando de emoção, alegria porque foi um premio merecido, um troféu que Braga nunca ganhou. Deste encontro destacaria alguns pontos positivos: união de todos os cabo-verdianos presentes em Coimbra. Pontos baixos: destacava a falta de transporte, comunicação e muitas vezes perda de controlo da situação em algumas ocasiões. Mas no geral foi bom e aconselho todos os estudantes a participarem nos próximos encontros. ”


Mário Marta: “foi um bom encontro este era o meu quarto encontro e foi neste que venci. Jogamos bem, fomos a melhor equipa porque nos esforçamos muito. Um dos pontos negativos que tiro deste encontro foi a má organização porque os jogos começaram tarde, mudaram varias vezes o tempo de jogo. Mas tirando isso foi um bom encontro ”

Celder Craveiro: “ encontro ocorreu dentro das nossas expectativas, mas o único problema foi a organização que tivemos de ser nos a ir atrás deles para poderem entregar o troféu de campeão e nem chegaram a entregar todos os troféus pois o de melhor guarda-redes, melhor marcador e melhor jogador. Podias-mos ter trazido estes troféus mas não disseram mais nada. A organização deixou muito a desejar”.


Higor Teixeira: foi espectacular, cheio de emoções fortes e sofrimento. O facto de vencermos deve-se a humildade da equipa, união do grupo e demos um passo de cada vez que possibilitou chegarmos longe. O torneio não foi mal organizado na minha opinião mas teve falhas e a culpa não foi da organização mas sim das equipas, Braga foi a única equipa a cumprir o horário. Teve falhas também no sorteio em que não estivemos presente, caímos um grupo forte e Porto e Coimbra tiveram um grupo mais fraco. Mas há muito que os encontros são condicionados pela cidade organizadora. Ponto positivo foram as instalações, óptimo complexo onde decorreu o torneio no segundo dia. Depois do torneio voltamos mais forte e unidos com vontade de fazer mais e com sensação de missão comprida

Evandro Évora: “o encontro foi bastante positivo, apesar de alguns pontos em que a organização podia ter feito um pouco mais (organização, alimentação, transporte), houve um forte espírito de companheirismo entre os participantes, do torneio assim como de todos os estudantes que se deslocaram a Coimbra com o intuito de tomar parte nas actividades. O ponto mais alto foi sem dúvida a conquista do título, pois apesar de estar sempre confiante das minhas capacidades e também nas dos meus colegas, não esperava chegar tão longe visto que esta seria a minha primeira participação num encontro deste tipo.”

Getúlio Fortes:” o encontro foi bom, com actividades interessantes como por exemplo o sarau que não deu em nada teve pouca aderência e era uma oportunidade de expormos as nossas ideias. Em termos de organização do encontro, foi aceitável bem ao estilo cabo-verdiano. Sobre o torneio é fácil elogiar pois vencemos, mas tivemos de andar muito para chegar ao pavilhão, o sorteio foi realizado sem a nossa presença. Do resto decorreu sem grandes problemas (ex.: brigas inúteis que decorreram nos anos anteriores). E por último tive a impressão de que a organização não gostou de ter sido nos a ganhar o torneio porque houve descriminação autêntico por parte do presidente da associação, entregou-nos a taça como que não era nosso, e nem um elogio por parte dele (como responsável máximo do evento) ”

Geovani Alves: “balanço sobre o encontro é que foi bastante positivo cumprimos o nosso o objecto que era vencer o torneio… convivemos com outras comunidades cabo-verdianas de outras cidades, divertimos muito e acima de tudo este encontro serviu para unir ainda mais o pessoal e fazer grandes amizades. Como ponto negativo destacaria a alimentação que deixou muito a desejar, atrasos na realização dos eventos e pouca disponibilidade do presidente da associação de Coimbra em ajudar. O resto foi bastante bom, o pessoal gostou muito e… Viva Braga” 


Dassaev Pina: “encontro foi bom vencemos merecidamente, no primeiro jogo empatamos e estivemos a reflectir e nos restantes foram só alegrias. Pontos positivos: foi um bom encontro onde encontramos cabo-verdianos de todos os cantos de Portugal, amigos há muito não vistos, um bom convívio. Pontos negativos: o presidente, digamos que não cumpriu com o prometido pois dizia algo e “uns rapazes” iam falar com ele e ele mudava de ideias”

Carlos Soares: alimentação, transporte e organização do torneio foram um dos principais pontos negativos deste torneio principalmente alimentação. Equipa teve de fazer deslocações favoráveis a pé porque a organização não disponibilizou transporte e também fizeram o sorteio sem a nossa presença. Cada equipa podia levar dez elementos mas há equipas que levaram mais, mas estes ido por conta própria. Tivemos grande contributo da Irana Almeida que estava na mesa a controlar os lances dos nossos jogos porque a organização não tinha staff para fazer esse serviço, a equipa foi acompanhada por duas meninas que serviram de guia que nos levaram a cantina e ao campo de jogo. O encontro este óptimo tirando alguns erros na organização mas isso é normal apenas serve de exemplo como para o ano o próximo encontro deverá ser realizado em Braga para não cometermos os mesmos erros, vamos fazer de tudo para que seja realizado em Braga e claro contamos com a ajuda de cada estudante desta cidade.





                                                                                                                    Bruno da Moura


segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Aprender a não esquecer. Desenvolvimento de Carreira

Truques para treinar a memória. 

Memorizar trata-se de reter, arquivar ou conservar informação, para recuperá-la sempre que necessário. Lembrar é tão importante como aprender pois, de outra forma, nunca conseguiríamos utilizar os conhecimentos adquiridos.
As solicitações e exigências para a nossa memória são, cada vez mais, uma constante do dia-a-dia: códigos, passwords, números de telefone, emails... Memorizar é essencial! E ao contrário do que muitos pensam, é possível treinar a memória e controlar vários factores relacionados com a mesma, bastando para tal cumprir alguns “exercícios” básicos...
Revelamos os melhores truques para manter uma memória sempre fresca:

# Associação de ideias. O ponto base da memória é a associação de ideias, seja de forma directa ou indirecta. Podemos faze-lo conscientemente quando tentamos treinar a memória e, de forma intencional, procuramos ligar uma coisa àquela que devemos recordar (por ex., atar um fio no dedo para lembrar de fazer um telefonema). Ou podemos, associar ideias que, à partida, não estão directamente relacionadas mas que conseguimos estabelecer alguma ligação.

# Compreensão. É sempre importante procurar entender primeiro o que se pretende memorizar. A pior forma de memorizar é tentar decorar sem pensar primeiro na ideia subjacente. Compreendo previamente o que está a ser memorizado, poderá mais facilmente estabelecer associações de ideias e reter a informação básica. 

# Repetição. Um velho truque, mas sempre eficiente. Uma forma possível para ajudar a memorizar é a repetição, oral ou escrita, da informação que está a tentar reter. Escrevendo muitas vezes ou lendo em voz alta, poderá mais facilmente assimilar essa informação. 

# Mnemónicas. 
Um conjunto de técnicas utilizadas para ajudar a recordar alguma coisa e, de algo forma, implicam a associação de ideias já referida Por exemplo, encontrando palavras chave em cada conceito e anotar as letras iniciais de cada palavra para formar com elas palavras que, fazendo ou não sentido, mas que sejam simples de recordar (por vezes, quanto mais improváveis ou criativas, mais fácil será recordar-se delas).  

# Leitura.
 Para memorizar um texto é imprescindível que o leia atentamente, e as vezes necessárias para começar a assimilar as ideias chave.  Procure, numa segunda leitura, identificar as ideias principais e sublinha-las para concentrar a sua atenção nesses parágrafos. 

# Memória visual. Está comprovado que temos mais facilidade em memorizar algo que vemos. A memória visual é um excelente auxiliar, pelo que ajuda sempre traduzir uma ideia para o papel, através de esquemas, gráficos ou mesmo copiando as ideias chave. 

# Organização. O nosso cérebro é de tal forma complexo e metódico que, quanto mais organizada estiver a informação, mais facilmente conseguiremos relembrá-la. Procure sistematizar as ideias por escrito, dividindo a informação em duas colunas: na da esquerda, coloque as ideias chave, e à direita uma explicação mais completa. 

# Oratória. 
A leitura em voz alta também ajuda a memorizar, sobretudo tendo alguém a quem possa ir expondo o assunto em questão. Mais uma vez, a repetição é a chave para o processo de memorização.

#  Interesse. A facilidade em memorizar qualquer coisa depende do nível de interesse suscitado pela informação em questão.  Naturalmente, é mais simples recordar coisas que achamos interessantes do que outras pelas quais não estamos tão interessados. Procure por isso interessar-se pelos assuntos que deve memorizar.

OBS: Este texto foi retirado do site sapo.cv 

terça-feira, 30 de novembro de 2010

A pior equipa do mundo joga na 13.ª divisão inglesa


Os treinadores de futebol queixam-se muitas vezes das dores de cabeça que têm para escolher um onze para cada jogo. Umas vezes é porque têm muitas (boas) soluções para vários lugares, outras porque há lesões ou castigos a complicar as contas. E depois há os casos raros em que os jogadores não aparecem ou nem sequer existem. Podemos começar a história do Madron FC por aqui. Esta equipa da primeira divisão da Mining League - campeonato da região da Cornualha, equivalente ao 13.º escalão do futebol inglês - segue destacada na corrida à eleição da pior equipa do mundo. Na verdade, nem sequer deve ter concorrência.

Os problemas do Madron começaram no fim da época passada, quando subiu da 2.ª para a 1.ª divisão desta liga. Muitos jogadores foram embora e o treinador acabou por seguir o mesmo caminho. A equipa, composta acima de tudo por clientes de um bar local e estudantes, passou a ter dificuldade em entrar em campo com onze jogadores. Os resultados estão à vista: perdeu todos os (11) jogos disputados até agora, com 227 golos sofridos e apenas dois marcados.

Na última jornada, realizada este domingo, o Madron perdeu por 22-0 no terreno do St. Buryan. Até seria um resultado difícil de digerir, não tivesse havido um desastre ainda maior na semana anterior. A visita às reservas do Illogan fez- -se apenas com sete jogadores - mínimo obrigatório para um jogo - e sem um guarda-redes de raiz. Resultado final: 55-0. Em declarações ao "Guardian", Alan Davenport - o treinador interino - limitou-se a lamentar o que aconteceu. "É difícil quando só tens sete jogadores e nem um guarda-redes. Um deles foi para a baliza e fez o melhor que pôde. Sei que devem estar todos a rir-se de nós, mas vamos continuar a lutar."

Esta partida entrou logo para o top das maiores goleadas da história do futebol. E só não saltou directamente para o primeiro lugar porque em 2002 houve um jogo em Madagáscar que chegou aos 149-0. No entanto, aqui houve mão malandra, porque foram os jogadores da equipa derrotada que marcaram todos os golos - na própria baliza - em sinal de protesto contra as arbitragens.

Ainda assim, nem tudo corre mal na vida deste modesto clube dos arredores da cidade de Penzance. O campeonato tem 15 equipas, mas o Madron está no 14.o lugar. A lanterna vermelha está nas mãos do Storm, que por culpa de uma falta de comparência soma uns simpáticos três pontos negativos.

Alan Davenport já reconheceu que a sua equipa é "provavelmente a pior equipa do Reino Unido". Os jogadores também devem pensar o mesmo: no último jogo, só oito dos onze titulares aceitaram tirar uma foto de equipa. Os outros tiveram vergonha de aparecer.

Rui Catalão, Jornal i

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

São Bruno

Bruno (em alemão,  Bruno von Köln Serra San Bruno,  6 de Outubro de 1101) nasceu em Colonha, na Alemanha em 1030 de uma família nobre. Desde muito jovem estudou nas cidades francesas de Reims e Paris e quando voltou a sua pátria, foi ordenado sacerdote no Colegiado de São Cuniberto. foi um monge alemão, fundador da Ordem dos Cartuxos, proclamado santo pela Igreja Católica. A Ordem dos Cartuxos é considerada a mais rígida de todas as ordens da Igreja
As últimas palavras foram: "Eu creio nos Santos Sacramentos da Igreja Católica, em particular, creio que o pão e o vinho consagrados, na Santa Missa, são o Corpo e sangue, verdadeiros, de Jesus Cristo".

Ele faleceu em 6 de Outubro de 1101 e é o patrono da cidade de Colonha na Alemanha.

sábado, 10 de julho de 2010

Copa do Mundo da FIFA Alemanha 2006


DADOS
·         Equipas: 32
·         Quando: 09 Junho 2006 para 09 Julho 2006
·         Final: 09 Julho 2006
·         Jogos: 64
·         Golos: 147 (média 2.3 por partida)
·         Assistência: 3359439 (média 52491)
§  Campeão: Itália
§  Vice-campeão: França
§  Terceiro: Alemanha
§  Quarto: Portugal
§  Bola de Ouro adidas: Zinedine ZIDANE (FRA)
§  Chuteira de Ouro adidas: Miroslav KLOSE (GER)
§  Prémio Yashin para o Melhor Guarda-redes: Gianluigi BUFFON (ITA)
§  Prémio de Melhor Jogador Jovem: Lukas PODOLSKI (GER)
§  Prémio FIFA Fair Play: Espanha, Brasil
§  Prémio da FIFA para a Equipe Mais Espectacular: Portugal
RESUMO
Os italianos devem o título da Copa do Mundo da FIFA Alemanha 2006 sobretudo ao facto de terem sido uma equipe unida. Sem dúvida nenhuma a imagem que ficará na memória será a do momento em que Zinedine Zidane perdeu o controle no Estádio Olímpico de Berlim e deu uma cabeçada no peito do italiano Marco Materazzi.
Dirigida pelo treinador Marcello Lippi que levou a Juventus de Turim a uma série de sucessos a selecção italiana conseguiu tirar motivação do escândalo de compra e manipulação de resultados na loteria desportiva no país, além da qualidade individual dos seus jogadores a Itália contou também com a força e o entrosamento do grupo. Dos 23 jogadores de Marcello Lippi 21 tiveram chance de jogar, e dez deles aproveitaram a oportunidade e marcaram golo.
À frente do extraordinário Gianluigi Buffon, o capitão Fabio Cannavaro comandou com excelência a melhor defesa da história das Copas: a Itália só sofreu dois golos sendo um contra e um de penálti. No meio-campo, Andrea Pirlo e Gennaro Gattuso formaram uma dupla que combinou força e técnica. Os laterais Gianluca Zambrotta e Fabio Grosso com suas descidas pelas laterais também não podem ser esquecidos.
Grosso não apenas marcou o golo que abriu caminho para a sensacional vitória italiana na semifinal contra a Alemanha como também converteu o penálti que deu a vitória àAzzurra na final contra a França. Com isso a Itália venceu pela primeira vez uma Copa nos penáltis, deixando para trás o trauma da final de 1994.
Mas a Copa do Mundo da FIFA 2006 não foi um sucesso só para os italianos. A jovem selecção alemã do treinador Jürgen Klinsmann chegou ao terceiro lugar jogando um futebol rápido e ofensivo. O melhor ataque da competição foi o dos anfitriões com 14 golos no total cinco deles marcados por Miroslav Klose que levou o prémio Chuteira de Ouro oferecido pela adidas. O companheiro de ataque Lukas Podolski balançou três vezes as redes e recebeu o Prémio Gillette de jogador revelação.
A seleção de Klinsmann realmente contagiou a Alemanha em 2006. O velho estereótipo de futebol de resultados dos alemães foi superado pela jovem equipe com performances electrizantes. Além disso uma apaixonada torcida que cumpria dentro e fora dos estádios o lema da Copa ("O mundo entre amigos") produziu uma onda de alegria que acabou entusiasmando toda a população. Milhares de pessoas lotaram em todo o país as festas de rua organizadas para os torcedores, e a competente organização alemã ganhou respeito ao redor do planeta.
As quatro semanas de futebol na Alemanha conseguiram entusiasmar não só os 3.359.439 espectadores que compareceram a um dos 12 fantásticos estádios para acompanhar de perto as disputas (sem contar as milhões de pessoas que assistiram aos jogos nos telões colocados nas ruas), mas uma audiência estimada em mais de 30 bilhões de torcedores por meio de diversos veículos de comunicação no mundo todo. Todas as atenções estavam voltadas para as 32 selecções participantes, desde Angola aos Estados Unidos. Em uma maratona de 64 jogos e com um total de 147 golos, essas 32 equipes emocionaram, encantaram e, em alguns momentos, levaram ao desespero bilhões de pessoas ao redor do mundo.
Zinedine Zidane teve uma despedida memorável e contribuiu muito para que o seleccionado de Raymond Domenech chegasse à final em Berlim depois de vencer Espanha e Brasil. Pelo seu óptimo desempenho ele levou para casa a Bola de Ouro. Mas mesmo com um golo contra a Itália oito anos depois de também ter deixado a sua marca na final de 1998 Zidane acabou não tendo o final feliz com que sonhava.
Portugal também tem motivos de orgulho: o craque Cristiano Ronaldo representou uma das grandes forças individuais do torneio e ajudou a selecção a chegar à semifinal igualando o feito de 1966. Campeão com o Brasil em 2002 o treinador Luiz Felipe Scolari chegou perto da segunda final mas acabou saindo da disputa ao perder para a França nas semifinais.
Apesar de só selecções europeias terem participado das semifinais outros países também deixaram boa impressão. Antes da eliminação nas quartas-de-final com a amarga derrota para a Alemanha nos penáltis a Argentina mostrou um empolgante futebol de toque de bola como na sequência de 24 passes que culminou com o golo de Esteban Cambiasso fechando a goleada de 6 a 0 contra Sérvia e Montenegro. Talvez tenha sido também de um argentino a melhor performance individual da Copa: Maxi Rodríguez marcou um golaço nos oitavos-de-final, definindo a vitória contra a forte selecção mexicana.
Motivos de orgulho também não faltam às selecções africanas estreantes. A Costa do Marfim por exemplo ainda que tenha perdido para Argentina e Holanda dificultou bastante a vida de ambas. Angola obteve empates tanto com o México quanto com o Irão enquanto Gana conseguiu com o seu futebol ofensivo articulado pelos craques Stephen Appiah e Michael Essien ganhar inclusive da respeitada selecção da República Checa e dos Estados Unidos, antes de ter sido eliminada pelo Brasil nos oitavos-de-final.
Quem também brilhou foi a selecção estreante de Trinidad e Tobago que apesar de ter lutado muito contra a Suécia não conseguiu sair do 0 a 0. Equador sobreviveu pela primeira vez à fase de grupos batendo a Polónia e a Costa Rica. E a selecção da Austrália venceu de virada e com muita raça o Japão, com três golos nos últimos dez minutos de jogo, chegando aos oitavos-de-final. Também está de parabéns a defesa suíça, que no tempo regulamentar de quatro partidas não sofreu um golo sequer.
Também houve grandes decepções na Copa do Mundo da FIFA 2006. Apesar de Ronaldo ter marcado o seu 15º golo convertendo-se no maior marcador da história da competição a selecção pentacampeã do Brasil ficou abaixo da expectativa. Assim como a Inglaterra o Brasil chegou aos quartos-de-final mas isso não satisfez nem de perto as expectativas, inclusive dos próprios jogadores. As selecções asiáticas não conseguiram repetir o sucesso de 2002 e tiveram de se despedir cedo do torneio. Em uma estatística negativa, desde 1990 a fase de mata-mata não tinha tão poucos golos. Para concluir, também não houve muitas surpresas, com excepção da estreante Ucrânia, que chegou às quartas-de-final e só foi eliminada pela Itália — o que não foi nenhuma vergonha, já que a Itália foi a grande campeã da Copa do Mundo da FIFA 2006.
CURIOSIDADES
Savo Milošević, Philip Cocu e Lee Woon-Jae jogaram as suas centésimas partidas pelas respectivas selecções nacionais no decorrer do torneio em solo alemão. Na final, Fábio Cannavaro também se uniu ao clube dos centenários;
Depois de tomar golos em todos os seus 22 jogos nas suas diversas participações entre 1934 e 1994, a Suíça conseguiu em 2006 a façanha de ser o primeiro país a não levar nenhum golo em uma edição da Copa do Mundo da FIFA;
No confronto entre as duas selecções pelo Grupo C, o gigante Nikola Zigic, da seleção de Sérvia e Montenegro, era 39 centímetros mais alto que o baixinho Bakari Koné, da Costa do Marfim.
Antes do confronto com Angola pelo Grupo D, o atacante iraniano Ali Daei já tinha marcado 109 golos em partidas entre selecções, 40 a mais que a soma dos gols feitos por todos os jogadores do plantel angolano.
A primeira vitória de uma selecção da Oceânia em toda a história da competição foi dramática. A Austrália perdia para o Japão por 1 a 0 até os 39 minutos do segundo tempo, mas virou com golos de Tim Cahill e um de John Aloisi.

Copa do Mundo da FIFA Coreia do Sul/Japão 2002




DADOS
·         Equipas: 32
·         Quando: 31 Maio 2002 para 30 Junho 2002
·         Final: 30 Junho 2002
·         Jogos: 64
·         Golos: 161 (média 2.5 por partida)
·         Assistência: 2705197 (média 42268)
§  Campeão: Brasil
§  Vice-campeão: Alemanha
§  Terceiro: Turquia
§  Quarto: Coreia do Sul
§  Bola de Ouro adidas: Oliver KAHN (GER)
§  Chuteira de Ouro adidas: RONALDO (BRA)
§  Prémio Yashin para o Melhor Guarda-redes: Oliver KAHN (GER)
§  Prémio de Melhor Jogador Jovem: Landon DONOVAN (USA)
§  Prémio FIFA Fair Play: Bélgica
§  Prémio da FIFA para a Equipe Mais Espectacular: Coreia do Sul
RESUMO

A Copa do Mundo da FIFA Coreia/Japão 2002 mostrou a nova cara do futebol. Em um novo continente diversas velhas potências ficaram para trás, depois de inúmeras surpresas pela primeira vez os quartos-de-final contaram com selecções de cinco confederações diferentes. A decisão porém foi entre os tradicionais seleccionados de Alemanha e Brasil com a selecção comandada por Luiz Felipe Scolari chegando ao inédito pentacampeonato mundial. 

O atacante Ronaldo tão criticado pelo fracasso na final contra a França quatro anos antes foi o herói brasileiro e marcou os dois golos da vitória na decisão em Yokohama, ele terminou o torneio com oito golos o maior número desde os dez golos de Gerd Müller no México 1970.
 

Ritmo senegalês
A partida de abertura deu uma ideia do que viria pela frente na fase de grupos: a estreante selecção do Senegal derrotou a França por 1 a 0 com um golo de Papa Bouba Diop, os franceses não conseguiram se recuperar daquele resultado e terminaram no fundo da tabela do Grupo A sem nenhum golo marcado. Para os senegaleses entretanto a festa estava só começando, classificado para os oitavos-de-final o seleccionado derrotou a Suécia na morte súbita mas o mesmo golo de ouro eliminou os africanos nas quartas diante da Turquia.
Os Estados Unidos pregaram outra peça ao vencerem na estreia a festejada selecção portuguesa por 3 a 2, os lusos se recuperaram na vitória contra a Polónia mas acabaram sendo a segunda grande nação europeia a voltar para casa mais cedo após serem derrotados pela outra zebra do Grupo D a Coreia do Sul.  

A eliminação da Argentina ao lado da Nigéria no Grupo F foi ainda mais surpreendente. Os comandados de Marcelo Bielsa venceram os nigerianos na estreia mas depois perderam por 1 a 0 para a velha rival Inglaterra em Sapporo em uma das partidas mais esperadas da primeira fase, o capitão David Beckham expulso no confronto entre os dois países quatro anos antes deixou o passado para trás ao marcar de penálti o golo da vitória. Com apenas um empate contra a Suécia na última rodada os portenhos uniram-se à lista dos favoritos eliminados.
 
Anfitriões vão em frente
Os jogos de mata-mata tiveram menos surpresas que a fase de grupos mas a co-anfitriã Coreia do Sul continuou superando as expectativas, nos oitavos-de-final os comandados do técnico Guus Hiddink saíram perdendo da Itália mas conquistaram a vitória com o golo de ouro de Ahn Jung Hwan. Nos quartos aproveitaram a sorte para superar a forte Espanha nos penáltis, nem mesmo a derrota por 1 a 0 para a Alemanha na semifinal tirou o incrível entusiasmo dos sul-coreanos que a cada partida transformavam as ruas em um verdadeiro mar vermelho.
Na primeira Copa do Mundo da FIFA no continente asiático os japoneses também fizeram a sua festa particular empurrado pela ruidosa torcida local o Japão do treinador Philippe Troussier ficou em primeiro no Grupo H, a campanha da primeira fase teve contra a Rússia a primeira vitória japonesa na história da competição seguida pelo triunfo diante da Tunísia, mas a aventura nipônica terminou com a derrota para a surpreendente Turquia nos oitavos-de-final.
Os turcos voltavam à Copa do Mundo da FIFA depois de 48 anos e chegaram à segunda fase superando a Costa Rica no saldo de golos, depois de derrotar o Japão a Turquia passou pelo Senegal com o golo de ouro de Ilhan Mansiz para enfrentar o Brasil nas semifinais. O eventual campeão vinha de uma virada sobre a Inglaterra nas quartas-de-final e voltou a encontrar dificuldades para vencer os turcos por apenas 1 a 0. 

Alemanha chega a mais uma final
A tradicional Alemanha não estava entre os grandes favoritos antes do torneio, pois havia tomado uma goleada de 5 a 1 para a Inglaterra nas eliminatórias e só conseguira a classificação na repescagem, mas três vitórias consecutivas por 1 a 0 no mata-mata levaram os alemães à sua sétima final de Copa do Mundo da FIFA. Diante dos EUA nos quartos-de-final e da Coreia do Sul na semifinal as vitórias vieram com um golo de Michael Ballack e com uma sólida actuação de Oliver Kahn. Porém Ballack levou o segundo amarelo contra os sul-coreanos e ficou fora da final.
Ironicamente, foi o outrora imbatível Kahn — escolhido o melhor jogador do torneio — que deu de presente a Ronaldo o golo que abriu o marcador na metade do segundo tempo da decisão em Yokohama no dia 30 de Junho. O Fenómeno ainda fez o segundo após um brilhante passe de Rivaldo e garantiu o título para o Brasil. Para atacante que estivera lesionado quase todo o tempo entre as duas edições da Copa o momento foi de redenção.
Depois de um mês de heróis inesperados e vítimas imprevistas o torneio no Extremo Oriente terminou com uma cena bastante comum: a selecção brasileira dando a volta olímpica com o troféu mais cobiçado do futebol mundial. Com o pentacampeonato o Brasil manteve o seu extraordinário recorde de ter conquistado a Copa do Mundo da FIFA em todos os continentes que sediaram o evento.
CURIOSIDADES
Na decisão do terceiro lugar o turco Hakan Sükür marcou o golo mais rápido da história da Copa do Mundo da FIFA ao abrir o marcador contra a Coreia do Sul aos 11 segundos de jogo;
Em 79º lugar no Ranking Mundial da FIFA/Coca-Cola antes do início das eliminatórias em Junho de 2000 o Senegal chegou às quartas-de-final na Coreia/Japão 2002;
Um dia depois de actuar na derrota dos EUA para a Alemanha Landon Donovan saiu do banco para ajudar o San Jose Earthquakes a derrotar o Colorado Rapids pela Major League Soccer;
Ronaldo fez o famoso corte "Cascão" depois que o seu filho pequeno o confundiu com o lateral Roberto Carlos na televisão;
No confronto pelo Grupo F quatro jogadores da selecção inglesa eram mais velhos que a soma das idades dos nigerianos Femi Opabunmi e Bartholomew Ogbeche ambos com 17 anos.